LITÍASE RENAL E DOENÇAS GASTROINTESTINAIS – Urologia Vida

LITÍASE RENAL E DOENÇAS GASTROINTESTINAIS

LITÍASE RENAL E DOENÇAS GASTROINTESTINAIS
10 de abril de 2018 UrologiaVida

Por Marta Deguti, hepatologista e gastroenterologista

A litíase renal, popularmente conhecida como “pedra nos rins”, é uma condição cada vez mais frequente em tempos atuais, que muitas vezes pode ocorrer em associação com doenças gastroenterológicas (Tabela 1). Acredita-se que uma significativa porcentagem (de 4 a 34%) dos casos de litíase renal ocorra em portadores de doenças inflamatórias intestinais, principalmente naqueles com doença de Crohn que têm o íleo e cólon comprometidos.  Pacientes que por alguma razão tiveram que ser operados com retirada de segmentos do intestino delgado, principalmente na região do íleo, também têm mais tendência à formação dos cálculos renais. Em média, as pedras nos rins ocorrem 6 a 12 anos após o diagnóstico da doença inflamatória. Nas últimas duas décadas, com o crescente número de pessoas submetidas às cirurgias bariátricas, também temos constatado que o bypass intestinal pode provocar nefrolitíase.

Isso ocorre porque as doenças gastrointestinais, por causarem diarreia, má-absorção de nutrientes, perda de água, nutrientes e eletrólitos causam desequilíbrio no metabolismo e desta forma levam a alterações na composição do filtrado renal. O tipo mais comum de cálculo nos pacientes com doenças gastroenterológicas é o de cálcio. Entretanto, até um terço dos pacientes podem formar pedras mistas de cálcio e ácido úrico. Importante acrescentar que não somente as doenças, mas também as medicações utilizadas nos tratamentos também contribuem para a formação dos cálculos renais. Em particular, corticosteroides e antibióticos da categoria das quinolonas estão envolvidas nesse processo (Tabela 1).

 

 

Tabela 1. Doenças Gastrointestinais e Medicamentos associados a Litíase Renal

Doença de Crohn Sulfassalazina
Retocolite ulcerativa idiopática Sulfapiridina
Doença Celíaca Corticosteróides
Supercrescimento Bacteriano Intestinal Ciprofloxacino
Bypass jejuno-ileal  Norfloxacino
Cirurgias de ressecção intestinal Inibidores de proteases
Pancreatite crônica Amoxicilina
Cirrose Hepática Trissilicato de Magnésio
Jejum prolongado

 

Se por um lado, as doenças gastrointestinais podem provocar a formação dos cálculos renais, por outro lado, elas trazem evidências que os hábitos alimentares e dietéticos podem contribuir de maneira eficaz na sua prevenção e tratamento. Muitos autores acreditam que os hábitos modernos das sociedades industrializadas estão totalmente ligados ao aumento substancial da prevalência da nefrolitíase. Sabemos que as bases de uma dieta preventiva inclui a ingestão equilibrada de água, proteínas, sais minerais, frutas, vegetais, leite e derivados, carboidratos, gorduras e vitaminas. Como recomendações gerais, é importante manter um volume urinário acima de 2 litros por dia, não exagerar no consumo de carnes vermelhas e aves, ingerir pelo menos 40 g por dia de proteínas vegetais e 1 g de cálcio por dia. O consumo de alimentos frescos sem conservantes industriais, com menos gorduras saturadas, preferindo-se os triglicérides de cadeia média, e assegurar níveis adequados de vitamina B6 também são aconselhados.

Portanto, o funcionamento do sistema digestivo está profundamente relacionado com a qualidade do filtrado renal. Portadores de doenças gastroenterológicas crônicas ou indivíduos que já sofreram cirurgias digestivas enterais necessitam de atenção com foco nesse aspecto. Também a detecção de cálculos renais pode sinalizar a presença de distúrbios no aparelho digestivo. Em tempos de medicina especializada de elevado nível científico e tecnológico, os cuidados rotineiros mais básicos e a visão integrativa continuam sendo essenciais no tratamento e na prevenção da litíase renal.

Referências:

 

1)    Nutritional aspect of nephrolithiasis Anita Saxena, R. K. Sharma Indian J Urol. 2010 Oct-Dec; 26(4): 523–530.

2)    Nephrolithiasis and Gastrointestinal Tract Diseases: Can Diet Intervention Help?The Practical Gastroenterology Journal edited by Carol Rees Parrish, MS, RD 2013 April. http://www.medicine.virginia.edu/clinical/departments/medicine/divisions/digestive-health/nutrition-support-team/practical-gastro/resources-page

3)    Kidney Stones in Adults. National Kidney and Urologic Diseases Information Clearinghouse (NKUDIC) http://kidney.niddk.nih.gov/kudiseases/pubs/stonesadults/#eating

 

*Marta Mitiko Deguti (CRM-SP 78.966)

Hepatologia e Gastroenterologia (CRM-SP 78.966)

Realiza atendimento médico nos endereços:

 – Rua Iguatemi, 192  – 3 º andar      –  Itaim Bibi –        Tel: (11) 3168.5311

– Rua Borges Lagoa, 1080 – cj 209 – V. Clementino – Tel: (11) 5549.0966

E-mail: marta.deguti@gmail.com    

0 Comentários

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*